Adore


(Fonte: mermaidtittiezzz)




Sabe o que é lindo? Lindo é quando a pessoa demonstra que sente sua falta, demonstra que precisa de você, corre atrás, dá valor e não desiste

Via Prenda-se a mim.

(Fonte: bosheit)







(Fonte: the-hall)


Durou tão pouco, e quando você se foi, parecia que tinha durado uma vida.

Orquestrando. (via aprendizdepoeta)

(Fonte: orquestrando)

Via Pedro Peixoto - Tumblr


Acontece que eu sinto falta, sinto falta de tudo que vivemos juntos, sinto falta dos abraços, dos beijos, sinto falta do seu cheiro, do calor do seu corpo, sinto falta do seu sorriso, sinto falta de tudo que sei que não vai voltar a ser como era antes.

Derrotador.   (via lettres-a-paris)

(Fonte: derrotador)

Via


Você transformou meu gosto pelo cigarro imaginário em câncer real. Você manchou minha língua com uma nicotina amarga, enegreceu meu cérebro. Eu sou de uma desumanidade tremenda ao comparar meu drama com uma doença tão bárbara quanto o vício. Mas o que seria da dor senão fosse a metáfora? Digo, o que seria do ser ‘patético poético’ humano que esconde todo o seu naturalismo, o seu instinto e a sua caça em cima análises e convenções? Você fez do meu ego um brinquedo. Um brinquedo terrível, daqueles que as tias velhas oferecem aos pequenos mais travessos. Um brinquedo que não quebra. Algo molenga, como uma gelatina colorida artificialmente, que você pode jogar na parede ou de cima de um prédio, tanto faz. Você junta, reúne os pedaços e brinca novamente, até perder o interesse e amarrar latas na cauda do cachorro. Mais do que um brinquedo, eu fui a própria humilhação, com meus olhos tristes e carnosos, bem na sua frente. Eu fui a personificação da personificação. Mas você não teve a menor consciência disso enquanto se transformava numa célula quimioterápica mutante. Eu sou mais do que o teu amor de proveta, eu sou um amor de estupro. Indesejado, um amor que você deveria sentir, mas não sente. Que você sabe que te faz bem, mas não cura. Uma falência múltipla de todos os corações molengas que você brincou e abandonou durante a sua vida mesquinha e idiota. Eu sei da tua hiperatividade e da tua depressão, sei dos teus devaneios, sei da tua poesia e dos teus palavrões. Sei inclusive que a tua beleza é uma enorme baixaria, uma tarja preta. Ditadura de criança travessa, pai e mãe não levam a sério. Greve de fome de um mendigo revoltado, ninguém se comove. Morte de um velho decrépito, todo mundo esperava. Mas “todo mundo” se surpreende com o senhor da vida pacata que morreu de câncer no pulmão sem nunca ter colocado uma droga de cigarro na boca. Mais do que anunciado, nossa morte foi um evento censurado. As palavras que eu escrevo agora, no entanto, não são pra você. Mas bem que eu gostaria que fossem.

Cinzentos. (via n-o-v-o-h-e-r-o-i)

(Fonte: cinzentos)

Via vamos nos permitir.. ∞

Estou desconfiada de que a gente cresce quando começa a aprender, com o sentimento, muito além da retórica, a não permitir que uma desilusão ou outra nos afaste de nós mesmos e nem dos nossos sonhos mais bonitos. Estou desconfiada de que a gente cresce quando é capaz de entender que estar vivo é perigoso, sim, é trabalhoso, sim, mas também é uma oportunidade rara e imperdível. Que há que se pagar o preço, se a ideia é ser feliz e inteiro.

Ana Jácomo.  (via cartas-rasgadas)

(Fonte: anajacomo)

Via vamos nos permitir.. ∞

(Fonte: titanios)


Você ate pode vir e ir quando quiser, só não me de falsas esperanças dizendo que é pra sempre.

Thiago Polycarpo. (via perfectuar)

(Fonte: incapacitado)

Via vamos nos permitir.. ∞
1519
To Tumblr, Love PixelUnion